Micael Sousa

20 Março, 2013

O meu nome é Micael Sousa, nasci em Leiria e sempre vivi em Leiria. Fiz os meus estudos na Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG), no Instituto Politécnico de Leira (IPL), onde inicialmente comecei um bacharelato de Engenharia Informática, mas depois acabei por optar por mudar para Engenharia Civil, onde fiz 5 anos de enfiada. Comecei a trabalhar no meu 4º ano, na altura era bietápico, com o bacharelato durante o dia e a licenciatura em regime noturno. Comecei a trabalhar para ganhar experiência numa altura em que o mercado de trabalho era outro e a construção também. Posteriormente, fiz uma sequência de estudos, pós-graduações relacionadas com higiene e segurança. Após ter alguma experiência profissional, voltei a ingressar no Politécnico para fazer mestrado em Energia e Ambiente.

Tenho vários blogs onde escrevo habitualmente textos de opinião, investigação, contos e poesia. Costumo também fazer fotografia, pintar, e construções em lego que, apesar de parecer uma coisa absurda, é também um ato criativo! Através das construções em Lego estive também ligado à última exposição de Natal, que ocorreu aqui em Leiria.

Há sempre muitos projetos na cabeça, depois é uma questão de saber gerir o tempo para os executar. Neste momento, estou também a tirar uma licenciatura de História e gostaria de fazer um doutoramento em Património para depois conjugar com a minha formação de base em Engenharia Civil, dado que sou um apaixonado por História e por Arte.

Atualmente, trabalho na direção de Serviços Técnicos do IPL, como Engenheiro Civil, assumindo no momento a gestão das equipas e manutenção geral nos vários espaços do IPL e participando na fiscalização e acompanhamento de outros projetos e empreitadas.

Espero que a Rede possa ser um modo de criar parcerias entre os Antigos Estudantes, ou seja, que o Empreendorismo que é tão falado atualmente, passe por mais do que um projeto individual, e também por projetos coletivos. Espero que a Rede possa ter essa capacidade de juntar as pessoas, se conseguisse ter uma rede informática em que houvesse cruzamento de dados, para ajudar a desenvolver projetos com valor acrescentado. Por exemplo, eu lembro-me que participei numa iniciativa onde ocorreu uma apresentação de Antigos Estudantes da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar, sobre o projeto “Bubble Net”, que tinha como objetivo replicar as técnicas de pesca das baleias através da tecnologia, e foi curioso porque parecia que o projeto era desconhecido dos alunos das restantes escolas. Por isso uma Rede de atuais e antigos Estudantes poderia ter muito potencial e utilidade.

Para mim o IPL representou praticamente toda a minha formação académica superior e atualmente é o meu local de trabalho, apesar de já ter trabalhado no sector privado e de estudar agora noutra universidade. O IPL foi o espaço do meu desenvolvimento académico e agora, tentando trabalhar para a comunidade académica, me vou desenvolvendo profissionalmente.