Cátia Morgado

11 Outubro, 2013

Sou Cátia Morgado, tenho 28 anos e frequentei o curso de Marketing Turístico na Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar em Peniche, finalizando a minha licenciatura em 2011.

Entrei no ensino superior com 23 anos, depois de ter amadurecido ideias acerca do que pretendia realmente fazer no futuro e após ter adquirido alguma experiência profissional na área de organização de eventos desportivos, culturais e de juventude.

Com algum receio de já não conseguir acompanhar o “ritmo” exigido pelos estudos, percebi pouco tempo depois que foi a melhor decisão da minha vida. Como o curso e as unidades curriculares me interessavam a todos os níveis, não foi necessário “esforços” adicionais, passando tudo a fluir com muita naturalidade e curiosidade da minha parte.

Guardo muitas memórias do tempo de estudante, tanto no que diz respeito às aprendizagens, como às amizades e experiências que me enriqueceram muito a nível pessoal. Enquanto residente nos Açores, um dos meus receios incidia na adaptação a Peniche e nas saudades que iria sentir. Uma das minhas melhores recordações prende-se com a época de praxes. Na ESTM promove-se o convívio saudável, divertido e de interajuda entre os alunos mais antigos e os recém-chegados, proporcionando confiança e amizade. Recordo com muita saudade e sorriso no rosto, o facto de ter ficado deslumbrada com temas abordados nas aulas, especialmente as de Marketing e questionava, com muita frequência, os assuntos debatidos. Algumas pessoas, inclusive professores, brincavam comigo por causa da minha pronúncia, pelo que fiquei conhecida como a “Açoriana”.

O relacionamento estudante/docente sempre foi excelente. Na maioria das situações, sentimos total apoio da parte dos professores e em especial do nosso Coordenador de Curso, que sempre fomentou o espírito de grupo, o raciocínio, perspicácia e acima de tudo, a motivação.

As memórias são infinitas e como o meu grupo mais restrito de amizades dizia “dava para escrever um livro”…jantaradas, serões, viagens, trabalhos em grupo, partilha. Sabendo o que sei hoje, se pudesse, nunca optaria por outro curso, instituto ou universidade.

Antes de iniciar o curso estava a trabalhar, solicitando uma licença sem vencimento para frequentar a ESTM. Depois de finalizar o curso, retomei o exercício das minhas funções.

Após 3 meses, surgiu uma oportunidade de negócio, no sentido de adquirir um edifício no centro histórico de Ponta Delgada (a ser recuperado), com a estrutura que procurava para dar início ao meu projeto pessoal/profissional: 11 quartos e respetivas casas de banho. Estive empregada cerca de um ano, enquanto as obras do edifício decorriam para dar origem ao projeto de alojamento local, que hoje é o Vintage Place – Azorean Guest Househttp://www.hotel-azores.com/.

Abdiquei do meu anterior emprego, que foi uma experiência fantástica, com pessoas maravilhosas, para me dedicar a 100% a este negócio iniciado em fevereiro de 2013.

Atualmente sou empresária em nome individual (ENI) e estou a gerir o Vintage Place. As minhas funções nesta guest house são muito polivalentes, como é normal no início de qualquer negócio: gestão financeira, de reservas, atendimento ao público, criação de estratégias de marketing para divulgação do espaço e captação do público-alvo, gestão de fornecedores e limpeza do espaço necessário (atualmente já conto com a colaboração de uma pessoa responsável por esta área).

Com a criação desta empresa, passei a trabalhar muito mais que anteriormente, mas as recompensas também são notórias, tanto a nível financeiro, como obviamente a nível de realização profissional e pessoal. Neste momento, o meu objetivo é criar uma (micro) empresa sólida e ter o retorno do investimento até um período de 3 anos.

Reforço a ideia de que foi no IPL, nomeadamente na ESTM, que consegui perceber a minha vocação, proporcionando-me as bases a nível de conteúdo e formação para as colocar em prática. A nível pessoal, conheci pessoas com as quais continuo a manter contacto e que contribuíram para que seja a pessoa que sou hoje.

Espero que esta Rede me ajude a inspirar nas diversas histórias de outros antigos estudantes, aprender mais através das suas experiências, percursos e quem sabe, criar parcerias com alguns deles. Se a minha história pessoal puder ajudar a motivar colegas a iniciarem o seu próprio negócio e a não desistirem dos seus sonhos, será uma honra!

Na minha opinião, a Rede IPLeiri@lumni deveria ser mais divulgada pelos atuais estudantes e não apenas pelos que já finalizaram o seu percurso no IPL, porque muitas vezes estes exemplos, poderão servir de fio condutor a quem está a iniciar a sua orientação profissional.

Para o testemunho curto, clique aqui…