Henrique Miguel Baião Vassalo

13 Dezembro, 2013

Chamo-me Henrique Miguel Baião Vassalo, frequentei o curso de Som e Imagem entre 2009 e 2012 na Escola Superior de Artes e Design, nas Caldas da Rainha.

Do meu tempo de estudante tenho bastantes memórias, sobretudo dos eventos que se espalhavam pela cidade motivados pelos alunos da ESAD.CR que dinamizavam, e continuam a dinamizar, a atividade cultural e o entretenimento na cidade. Desde o Caldas Late Night aos espetáculos no Centro Cultural e de Congressos, Centro da Juventude e, mais recentemente, nos Silos.

A dinâmica da escola é enorme e o local onde se situa é motivo suficiente para marcar qualquer estudante que por ali passe e que saiba tirar o maior proveito do que a escola e os professores têm para oferecer.

O curso de Som e Imagem tem excelentes professores e funcionários que trabalham arduamente para que que os estudantes tenham o maior apoio possível durante o seu percurso académico, proporcionando também vários workshops e atividades extracurriculares relacionadas com o curso. Sem dúvida que foram 3 anos memoráveis.

Após ter terminado o curso continuei um projeto que tinha iniciado com alguns colegas ainda durante a licenciatura: uma produtora de conteúdos multimédia. Infelizmente, como todos os elementos estavam sediados a grandes distâncias uns dos outros, o projeto desintegrou-se. Ainda dei continuidade a alguns dos projetos que tinham ficado pendentes até me tornar definitivamente freelancer.

Neste momento, e após ter emigrado para Inglaterra, tenho trabalhado como Freelancer em projectos de pós-produção e Sound Design, assim como de Engenheiro de Som para espectáculos ao vivo.

Também me envolvo em vários outros projetos, tais como musicais e tecnológicos, que não são a minha profissão, mas que a rodeiam e dela vivem.

É importante crescer e aprender coisas novas mesmo fora da área. A programação de interfaces para música eletrónica é uma das coisas a que me tenho dedicado e que espero poder um dia permitir-me desenvolver um negócio.

Como músico vou contribuindo em alguns projetos que surgem pelo caminho onde toco bateria. A oferta cultural em Inglaterra é enorme e há bastante espaço para desenvolver projectos diversos.

O IPLeiria enquanto instituição tem muitos profissionais competentes em todas as áreas. Penso que esse foi o aspeto mais importante do meu percurso no IPLeiria. A troca de conhecimento e experiências entre alunos, professores e outros auxiliares de educação é feito de uma forma aberta e transparente, algo que eu penso que deve persistir durante e após a licenciatura/mestrado no acesso ao mercado de trabalho. Existe também uma excelente capacidade de divulgação de informação, relativa a atividades que incentivam a participação dos alunos, de forma a darem os primeiros passos no mundo profissional, tais como parcerias com empresas locais e nacionais.

Um contributo muito importante para qualquer percurso académico, é mesmo aproveitar ao máximo as oportunidades e aprender a estarmos atentos a toda a informação que possa expandir o nosso conhecimento enquanto estudantes e futuros profissionais das mais variadas áreas que o IPLeiria tem para oferecer.

A ideia da Rede IPLeiri@lumni é, sem dúvida excelente. Penso que é uma boa forma de exemplificar, sobretudo, aos alunos finalistas, como poderão agir de forma proativa tendo em conta exemplos de antigos estudantes. Será também uma boa oportunidade para os antigos alunos manterem contacto com a instituição o que proporcionará mais oportunidades aos, ainda alunos, de conhecerem mais profissionais das suas áreas respetivas e assim aumentar o número de contactos a que os alunos terão acesso após a conclusão do Curso, algo que hoje em dia é muito valioso.

A minha sugestão para o desenvolvimento desta Rede seria apresentá-la e divulgá-la junto dos novos alunos que chegam ao IPLeiria e motivar ainda mais os finalistas para a seguirem de forma persistente.

Para o testemunho curto, clique aqui…