Susana Fonseca

1 Fevereiro, 2014

Chamo-me Susana Fonseca e conclui a Licenciatura de Professores de 1.º ciclo de Educação Básica, na ESECS em 2008.

Entrei neste curso por acaso pois não foi a minha primeira escolha, mas a verdade é que me fui interessando dia-a-dia por um curso que até então pouco ou nada me dizia.

A forma apaixonada como as aulas eram lecionadas pela maioria dos professores e as ligações que criei com muitos deles, são memórias que guardo para a vida. Sempre tive a ideia de que no Ensino Superior os alunos não passavam de um número. No IPLeiria somos pessoas, ouvidas e respeitadas na nossa individualidade.

Depois de terminada a Licenciatura trabalhei como explicadora de alunos de 1.º ciclo e professora de Inglês e Expressão Plástica durante três anos.

Mais tarde ingressei no Mestrado Psicologia Clínica – ISMT/ESELeiria que conclui em 2011.

Atualmente realizo o trabalho administrativo na empresa da família, o que me permite uma maior flexibilidade para dedicar parte dos meus dias à MulherEndo – Associação Portuguesa de Apoio a Mulheres com Endometriose: https://www.facebook.com/AssociacaoMulherEndo da qual fui fundadora e sou presidente.

Esta Associação, que tem por objetivo principal a divulgação da doença e apoiar a mulher com Endometriose, começou por ser um grupo de apoio que criei no dia em que tive o meu diagnóstico de Endometriose. Há três anos ainda ninguém sabia que esta doença existia, e o conhecimento sobre as consequências que ela pode ter na vida da Mulher eram totalmente desconhecidas. No dia em que o meu sofrimento de 14 anos teve um nome, não pude ficar indiferente e prometi a mim mesma que ia lutar para que outras mulheres não tivessem de passar pelo mesmo.

Ser portadora de uma doença crónica, ainda desconhecida no nosso país, mudou muito a minha visão da vida e as minhas perspectivas de futuro profissional.

Posso dizer que muito do que sou hoje é fruto da forma como fui tocada pelos professores e colegas com quem partilhei tantos anos no IPLeiria. Muitas pessoas não conseguem compreender como posso ser feliz não exercendo a profissão para a qual estudei, no entanto, todos os dias aplico os conhecimentos que trouxe comigo e foram essas aprendizagem que me deram bagagem para lutar por aquilo em que acredito. Tirar um curso superior não tem de ser sinónimo de ficarmos agarrados a uma profissão para a vida. Para mim, o mais importante é que tudo o que aprendemos possa ser aplicado da melhor forma possível e que deste modo, nada seja em vão.

Considero que a Rede IPLeiri@lumni é um projeto interessante, não só porque nos permite acompanhar os projetos atuais de antigos colegas como certamente servirá de fonte de inspiração para os atuais alunos. Votos de muito sucesso e continuação de bom trabalho!

Para o testemunho curto, clique aqui…