Adriano Afonso

21 Outubro, 2014

Chamo-me Adriano Luís Pinto Afonso e entre 2002 e 2006 frequentei a Licenciatura em Tecnologias de Informação Empresarial na antiga ESTGAD, agora ESAD.CR.

Relembro bons tempos como estudante, em que não tinha grandes responsabilidades (risos). Por acaso não é completamente verdade esta afirmação. Sempre mantive um percurso profissional ao lado do académico, e isso trouxe-me alguma inadaptabilidade inicial às metodologias académicas. No entanto, com o passar do tempo, fui-me apercebendo que os conhecimentos que me estavam a ser transmitidos continham a base estrutural que me faltava. Foi um processo de reestruturação que me permitiu redesenhar algumas bases e assim construir uma plataforma mais sólida para sustentar o meu futuro.

Por outro lado, sinto saudades das noitadas que fiz com os meus colegas de grupo a fazer os trabalhos a tempo e horas. Não voltei a encontrar um grupo que trabalhasse tão bem e durante 24h, pois cada um de nós trabalhava melhor a horas diferentes. Eu à noite, o Rúben de manhã e a Odette de tarde.

Depois de terminar o curso, trabalhei durante dois anos numa firma em Caldas da Rainha e iniciei-me como formador, atividade que mantenho até hoje. Em 2008 entrei em Mestrado na Universidade Aberta que concluí em 2010, e durante a dissertação iniciei a minha atividade como Professor Tutor. Mais tarde fui convidado para lecionar na Universidade Lusófona e no Instituto Superior de Ciências Educativas.

Atualmente, estou a trabalhar num Service Provider da NOS, a Futurcabo, como administrador de sistemas informáticos da própria empresa. Mantenho a minha atividade como formador em várias entidades.

Paralelamente, fundei a Comunidade LibreOffice Portugal à qual dedico algum do meu tempo livre. Esta comunidade nasceu nos finais de 2011 com o objetivo de dar visibilidade e representatividade à comunidade Portuguesa de desenvolvimento, tradução, documentação, suporte e divulgação. É constituída por voluntários que dedicam parte do seu tempo livre e fazem uso das suas mais variadas competências para evoluir todas as vertentes deste pacote de produtividade de escritório de código aberto e livre. Mais informações em http://www.libreoffice.pt.

Publiquei o primeiro Manual Aberto de TIC e LibreOffice, em conjunto com 17 profissionais da área. Mias informações em http://www.libreoffice.pt/2014/04/comunidade-libreoffice-portugal-lanca-livro-electronico-que-ajuda-a-reducao-de-custos-na-formacao-e-na-educacao/. Mantenho a investigação científica com protocolos com o ISCE e o ISCTE-IUL.

De que forma é que o IPLeiria contribuiu para a minha formação tanto profissional como pessoal? Como disse, e pegando na analogia com uma casa, reconstrui os alicerces e construí uma habitação mais robusta. Percebi ao longo do tempo que é muito importante perspetivar o ensino superior como um alicerce e não como uma senha para o emprego. Com base no meu curso, fui construindo o meu percurso.

Da Rede IPLeiri@lumni espero exatamente aquilo que se espera que aconteça transversalmente em todo o país: uma aproximação do ensino superior à realidade do mercado e das empresas. Os politécnicos têm aqui um papel fundamental, apostando em cursos que proporcionem respostas às atuais necessidades do(s) mercado(s).

Para o desenvolvimento desta Rede sugiro a criação de uma plataforma entre o ensino superior e as empresas o que permitirá, por um lado, a resposta por parte da entidade superior às necessidade do mercado/empresa, por outro, colocar projetos/necessidades empresariais nas mãos dos discentes, contribuindo para uma visão mais alargada do mercado em que vão inserir futuramente. O mesmo é aplicável noutros contextos, como o desenvolvimento de software livre inserido nas comunidades, apoio a start-ups, incubadoras, etc.

Para o testemunho curto, clique aqui…