Letícia Toriani

20 Novembro, 2017

Olá!

Meu nome é Letícia, sou brasileira, e de fevereiro a julho de 2017 tive a oportunidade de estudar na ESAD, em Caldas da Rainha. Diferente do que estudo por aqui (Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda). Na ESAD.CR pude ter um foco bem mais específico na área que mais me instiga curiosidade, que é Som e Imagem.

A decisão de fazer um intercâmbio em Portugal veio com uma intenção, em especial: observar se o ensino por aqui era muito semelhante ao vosso e, se houvesse diferenças, quais seriam elas. Hoje, depois de ter vivenciado alguns meses na vossa terra, chego à conclusão de que existem MUITO mais diferenças do que eu poderia imaginar (e isso é positivo pra caramba!).

As minhas memórias relacionadas ao IPLeiria se misturam muito à experiência do intercâmbio, como um todo – exatamente como aconteceu enquanto eu estava por aí.

O Brasil é conhecido mundo fora por ter pessoas muito simpáticas e prestativas e, se me permitem dizer, acredito que essa pode ser considerada uma das grandes influências portuguesas. O povo por aí é uma graça, sempre tentando ajudar no que quer que fosse preciso, mesmo que às vezes a ajuda transcendesse os limites do ambiente onde nos havíamos conhecido.

Por exemplo: a Sandra, que supostamente seria a pessoa responsável por vincular-nos à vossa universidade, na verdade foi quase uma segunda mãe para mim. Até a encontrar lugar para morar essa mulher me ajudou!

Também tive colegas que em poucas semanas se revelaram grandes amigos, me ajudando inúmeras vezes com caronas em dias de chuva, com trabalhos para outras disciplinas das quais não éramos da mesma turma e, até mesmo, me levando para conhecer as cidades deles.

Como não amar um povo assim?

Quanto às aulas, tive a oportunidade de participar de uma aula do primeiro ano do curso e, outra, do segundo ano. Tive, portanto turmas distintas para cada aula, professores diferentes e focos completamente paralelos (enquanto uma disciplina incentivava a liberdade artística, a outra tinha foco muito mais técnico, mais voltado para o trabalho na televisão portuguesa). Em ambas as turmas fui muito bem recebida, tanto por parte dos colegas quanto por parte dos professores, tanto que mantenho contato com eles até hoje. =)

Ao voltar para o Brasil logo voltei a dar aulas na escola onde já trabalhava antes de ir para aí. Como é uma escola de idiomas, vi em muitos alunos um brilho nos olhos ao falar de intercâmbio e uma curiosidade imensa sobre a minha experiência por lá, e com meu incentivo vários deles estão se encorajando ou conseguindo arquitetar melhor os planos de passar por uma experiência vivendo no exterior também.

Atualmente dou aulas de inglês e faço estágio voluntário na Univates, minha universidade, na área audiovisual.

Dentre todas as coisas que aprendi na ESAD, finalmente pude fazer uma grande vontade se tornar realidade: abrir um canal no YouTube para contar minha experiência por aí, na Europa, e incentivar mais pessoas a vencerem seus medos para fazer seus maiores sonhos se tornarem reais, porque a sensação do lado de cá, quando o sonho invade a realidade, é muito melhor do que deixá-los apenas como uma ideia sem pretensão de acontecer.

Para além disso, mantenho meu Instagram com várias fotografias das experiências que tive por aí e, volta e meia, alguns textos para inspirar o pessoal também.

Meu canal se chama Café com Leti (youtube.com/channel/UCLvUXFRBZURNgPEezTHEKeQ/about?view_as=subscriber) e meu Instagram é www.instagram.com/_leticiat  =)

Venham tomar uma xícara de café e fazer parte de tudo isso junto comigo!

Como, além de estudar na ESAD.CR, também vivi na Residência de Estudantes da Instituição, tive/tenho um vínculo muito forte com o IPLeiria. Vocês têm uma rede incrível de funcionários, na sua maioria muito gentis e queridos, muitas vezes interessados também em nos ajudar em problemas que tínhamos na vida pessoal pelo fato de estarmos vivendo um pouquinho longe de casa. Me senti muito bem acolhida e querida por aí.

Espero manter esse laço tão bonito que se criou entre nós.

Para o testemunho curto clique aqui