Dulce Oliveira

7 Junho, 2018

O meu nome é Dulce Oliveira e estudei na Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM). Iniciei o curso de Biologia Marinha e Biotecnologia em 2001 e terminei em 2006. No último ano, participei no programa de intercâmbio entre o IPLeiria e o Centro Universitário UNIVATES, no Brasil.

Quando me lembro do meu tempo de estudante na ESTM fico sempre com um grande sorriso e relembro, com muita saudade, as experiências vividas na encantadora cidade de Peniche. Guardo inúmeras e magníficas memórias dos tempos académicos, pelo contacto muito próximo com todos os colegas dos 4 cursos e o corpo docente da instituição. Naquela altura, a Escola era mesmo muito pequena, e por isso éramos uma família. Estabeleci relações únicas de amizade e cumplicidade que perduram até hoje.

Concluída a licenciatura e após trabalhar 5 anos no controlo de qualidade da SONAE, decidi que estava na hora de seguir o sonho de ser cientista, e na minha primeira bolsa de investigação no Laboratório Nacional de Energia e Geologia percebi que era realmente o que queria fazer. Assim surgiu a minha paixão pela vegetação e o clima do passado, que foi o principal tema da minha tese de Mestrado em Ciências do Mar na Faculdade de Ciências em Lisboa e depois de Doutoramento na Universidade de Bordéus, em colaboração com o IDL-Universidade de Lisboa, CCMAR-Universidade do Algarve e o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). O projeto de investigação associado ao meu doutoramento e pós doutoramento foi distinguido com a Medalha de Honra da L’Oréal-UNESCO-FCT e a Medalha de Prata do Município de Leiria.

No meu atual projeto de pós-doutoramento (Bolsa FCT) no IPMA, pretendo analisar as alterações climáticas do passado na margem Portuguesa, por forma a compreender os mecanismos que estão naturalmente associados a eventos climáticos extremos.

O que vivi ao longo do meu trajeto no IPLeiria foi, sem dúvida, “o ponto de partida”, pois proporcionou-me inúmeras competências pessoais e profissionais que contribuíram para ser a mulher e a investigadora que sou hoje.

A Rede IPLeiri@lumni tem feito um fantástico trabalho e espero que continue a incentivar a comunicação e troca de experiências entre as diversas gerações de estudantes das 5 escolas do IPLeiria. Para o seu desenvolvimento, sugiro a realização de mais iniciativas que permitam a) a partilha de testemunhos junto de atuais e novos estudantes e b) a criação de novas sinergias profissionais entre os membros da Rede.

Um obrigado especial à equipa da Rede IPLeiri@lumni por possibilitar o contacto entre os antigos estudantes e permitir inspirar novos alunos, através da partilha de experiências.

Para o testemunho curto clique aqui