Bruno Prates

18 Julho, 2019

O meu nome é Bruno Prates Ferreira e estudei no Pólo Educacional de Caldas da Rainha da Escola Superior de Educação de Leiria (ESEL), agora ESECS. Entre 1999 e 2003, frequentei o curso de Professores do Ensino Básico, variante de Educação Visual e Tecnológica (EVT).

Do meu tempo de estudante, guardo memórias muito boas! Foram, sem dúvida, os melhores anos da minha vida. O Pólo Educacional tinha um carisma único. O espaço era muito mais finito entre todos, existia um ambiente familiar. As aprendizagens eram partilhadas em tempo real. Os pequenos corredores pareciam caminhos largos onde os encontrões tinham sabor a abraços apertados. O convívio e a camaradagem preparou-nos, de uma forma oculta, para o ambiente da escola real. Para além de boas e variadas amizades, guardo os professores e o gosto que tinham em desempenhar as suas funções. Alguns deles ainda hoje me inspiram com alguma frequência, tanto que trabalhamos juntos em alguns projetos. Os funcionários eram de uma amabilidade fabulosa. Aquilo não eram aulas, aquilo era magia. Considero-me um privilegiado por beneficiar de tantas e tão boas memórias deste Pólo do IPLeiria.

O meu percurso fez de mim o que sou hoje. Comecei logo por ir trabalhar para Odemira, ou seja, a 320 km de casa. Lembro-me de chorar nos primeiros dias. Era a primeira vez que estava fora de casa e sozinho. Até hoje, e em 16 anos, passei por 19 escolas. Já fui professor de 1º ciclo, 5º e 6º EVT, 8º e 9º ET, cursos extraescolares de artes decorativas e técnicas de pintura para adultos, alfabetização em contexto prisional (Alcoentre e Vale Judeus), onde acumulei a função de coordenador dos cursos. Foram 16 anos repletos de experiências, partilhas e enriquecimento profissional e pessoal.

Atualmente e desde setembro de 2017, desempenho a função de professor e coordenador/fundador de uma academia de desenho, denominada “Academia DesenhosdoBruno” em Caldas da Rainha. É um espaço dedicado ao desenvolvimento da criatividade a partir do desenho enquanto forma de expressão. Funciona em regime de aulas periódicas de setembro a junho cujas idades podem ir dos 6 aos 99 anos. Durante o mês de julho é nosso apanágio propor um projeto de Arte Publica que consiste na intervenção artística em meio local, desde pintura mural a painéis cerâmicos. Neste mesmo espaço funciona o meu ateliê onde desenvolvo trabalho de autor na área do desenho (cartoon/ilustração) e ainda a Galeria de Arte “DDB” com 40m2 disponíveis para exposição de autores em inicio de carreira. 

Continuo a desenvolver trabalho de autor na área do desenho de caricaturas e ilustrações por encomenda para a marca “desenhosdobruno”  projeto que criei e registei em fevereiro de 2013. 

Sou autor da rubrica “Caldastoon” no jornal “Gazeta das Caldas” desde janeiro 2015. 

Pelo facto de estudar naquele microcosmos que foi o Pólo, o IPLeiria, através do ambiente de partilha dos professores que tivemos, modelou-me de modo a saber potenciar os poucos recursos, tanto interpessoais como técnicos ou científicos, tornando-os ferramentas essenciais.

Nos dias que correm, é curioso que, enquanto profissional em ensino, oiça dizer o oposto quando ironicamente sempre me senti um privilegiado por ser fruto de uma formação de Politécnico. Destaco a capacidade para criarmos e desenvolvermos projetos nas mais diversas áreas. Havia uma metodologia para o saber Fazer, saber Ser e saber Saber. Hoje, para mim, isso é fundamental e é o que me torna competitivo. Os meus projetos têm todos como base conversas informais com antigos e atuais professores do Pólo a quem recorro vezes sem conta, precisamente por me identificar com essa formação ativa, dinâmica e criativa, sem veleidades.

Espero que a Rede IPLeiri@lumni mantenha o seu papel, que considero fundamental, na partilha de projetos e experiências que se vão revelando inspiradoras de todos daqueles que fizeram do IPL uma plataforma impulsionadora de ideias e desafios permitindo-nos desempenhar  diferentes papeis na forma de intervimos na comunidade/sociedade. 

A rede cresceu e é neste momento uma referência “alumni” tanto mais que representa uma instituição que valoriza a construção e formação de indivíduos, críticos, ativos e interventivos, potenciando-nos através da partilha e do trabalho em grupo. 

Para o testemunho curto, clique aqui