Patrícia Marcelino

27 Junho, 2014

Chamo-me Patrícia Marcelino e ingressei no curso de Educação de Infância, na Escola Superior de Educação, agora Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, no ano de 2002, tendo terminado a licenciatura no ano de 2006.

Do meu tempo de estudante guardo memórias que ainda hoje vou tendo o privilégio de recordar com amigas que ficaram desse tempo. É a primeira vez que estou perante o desafio de escrevê-las e tenho a sensação de que são memórias difíceis de passar para o papel, pois parecem indescritíveis. Mas posso dizer que foi um período de muito esforço e dedicação, de criação de laços e de muitas aprendizagens pessoais e profissionais. Nem tudo são lembranças positivas, mas sem dúvida que tudo foi importante de se viver. Posso destacar as muitas noitadas passadas a estudar e a fazer trabalhos, o imenso nervosismo para os testes e para as apresentações de trabalhos, os jantares com amigas, os ataques de riso nos locais menos próprios (aulas, biblioteca,…), os sonhos, conversas, desabafos, sentimentos, sucessos e fracassos partilhados, e entre tantas experiências vividas.

Depois de terminar a licenciatura tive oportunidade de começar de imediato a trabalhar como educadora de infância, no âmbito de estágio profissional. Permaneci na instituição de estágio mais um ano e no ano letivo seguinte estive a trabalhar como docente na ESECS – IPLeiria na unidade curricular Prática Pedagógica II, no Curso de Educação de Infância. Neste mesmo ano tive também a oportunidade de colaborar num projeto do qual ainda hoje faço parte, atualmente designado de Grupo Projeto Creche. Em 2010/2011, estive a trabalhar como educadora de infância no ensino público, num jardim-de-infância nas Caldas da Rainha. Depois desse ano letivo, trabalhei como formadora no ano de 2013 na vertente da formação profissional. Entre 2012 e até à atualidade tenho dedicado grande parte do meu tempo ao meu filho, pois acredito na importância deste acompanhamento nestes primeiros anos da sua vida.

Atualmente encontro-me a fazer trabalho não remunerado, numa associação da qual fui fundadora – Associação Casa d’Árvore – ABCNatur (https://www.facebook.com/casadarvore.abcnatur). É um projeto que foi sendo sonhado e construído ao longo dos anos e que tivemos oportunidade de iniciar no final do ano de 2013. A Associação Casa d’Árvore – ABCNatur é uma associação sem fins lucrativos que pretende contribuir para uma educação plena, comunitária e na natureza, das crianças e jovens.

Ser mãe e o projeto – Associação Casa d’Árvore – ABCNatur –são neste momento os meus projetos pessoais, aos quais dedico a maior parte do meu tempo.Posso dizer que o IPLeiria contribuiu em muito para aquilo que sou como pessoa e como profissional. Esta foi uma etapa extremamente importante da minha vida, e considero que foram todas as experiências vividas (e não só de sala de aula!) que me permitiram fazer uma travessia serena do mundo de estudante para o mundo do trabalho. Claro que muitas vezes questionei a formação, pois quando começamos a trabalhar parece que não temos a bagagem necessária, mas penso que talvez o principal tenha ficado cá dentro: é preciso querer saber mais, é preciso pesquisar, ler, escrever, estar em constante busca de conhecimento. Devo muito aos professores que me inspiraram e que me fizeram acreditar que podemos ir mais além no mundo da educação de infância, que podemos e devemos abrir portas para além daquilo que é considerado como padrão, que é considerado como “normal”. E foi assim que ficou o “bichinho” de querer fazer algo mais pela educação de infância e foi assim que também me tornei a mãe que hoje sou.

Acho que a Rede IPLeiria@lumni pode ser um ponto de encontro de colegas e profissionais, mas é também uma fonte de inspiração e aprendizagem, pois ajuda-nos a perceber a diversidade de percursos profissionais. Também considero que pode ser uma forma de divulgação dos trabalhos e projetos pessoais e profissionais dos antigos estudantes. Espero também que seja uma forma de cada antigo estudante continuar a manter relação com o IPLeiria, pois a formação não acaba quando terminamos uma licenciatura ou um mestrado.

Para o testemunho curto, clique aqui…