Mónica Garcia

23 Novembro, 2016

O meu nome é Mónica Garcia e, entre 2010 e 2015, frequentei o curso de Artes Plásticas na ESAD.CR.

As minhas memórias de estudante são muito variadas, com formas diferentes quando olho em retrospetiva, pois eu própria passei por um processo de metamorfose durante o curso e essa talvez tenha sido a memória mais marcante. É importante uma certa entrega pessoal para um curso que é muito direcionado para trabalhar a individualidade. Foi uma intermitente desconstrução e construção que definem a forma como olho para trás, ficando experiências muito diversificadas.
Desde que terminei o curso não sinto ter havido qualquer rotura, mas muito mais uma continuidade. Continuo a realizar exposições, um hábito já cultivado ainda enquanto estudava. Tento desenvolver alguns projetos pessoais, ou melhor, caprichos pessoais mais ou menos concretizáveis que me acompanham num trabalho de atelier caseiro que é mais constante, sendo a prática do desenho a principal via.

Atualmente, estou desempregada e empregada, i.e., não trabalho por conta de outrem, mas para mim mesma. Não tenho horários fixos, mas é necessária uma certa autodisciplina para manter um ritmo de trabalho que seja minimamente satisfatório. Os concursos são uma opção para fazer render o que é investido, mas é claro que o investimento é sempre maior. Direi que sou uma artista que produz enfiada no seu espaço pessoal, e quanto mais intimista para mim melhor, pois as condições de criação são importantes para que o trabalho possa germinar.

Foi em tais condições que criei a obra Abrigo, a qual recebeu o prémio Pedro de Sousa 2016 – https://eventosnaesadcr.wordpress.com/2016/09/21/antiga-aluna-da-esad-cr-do-curso-de-artes-plasticas-monica-garcia-conquista-1o-premio-pedro-de-sousa-2016/. Estava na altura fora da ESAD.CR, porque tinha perdido a bolsa de estudo por incumprimento dos créditos necessários. Tinha desanimado com o acompanhamento da disciplina pilar do curso e deixei progressivamente de frequentar as aulas, tendo sido a disciplina Laboratório de Desenho que, quase substituiu todas as outras, pela sua viva substância e sólido acompanhamento. Ela foi crucial para a produção da série de trabalhos de onde nasceu a obra Abrigo, fazendo um eco constante no espaço improvisado que montei na altura para o ritual do desenho e que, ainda hoje, continua a fazer esse eco.

Tenho uma página disponível onde coloco alguns trabalhos, em http://monicacogarcia.wix.com/monica-garcia.

Ter feito a licenciatura na ESAD.CR abre algumas portas por si só quando, por exemplo, me apresento a uma instituição com ideias para realizar exposições que não sejam muito convencionais. No entanto, na minha perspetiva, o mais importante é a forma como os diferentes docentes e a diversidade de disciplinas puderam servir como um autêntico microcosmo da quantidade explosiva de linguagens e pontos de vista que a contemporaneidade nos oferece a nível artístico e isso é muito importante de manter.

Espero que a Rede IPLeiri@lumni continue a crescer e que seja uma rede onde antigos e atuais estudantes possam ter um maior contacto para partilhar as suas experiências. Para uma maior divulgação da Rede poder-se-ia destinar um ecrã por cada escola do IPLeiria que estivesse a passar apenas informação ligada à Rede.

Para o testemunho curto, clique aqui