Nuno Braumann

20 Fevereiro, 2018

Apesar de nunca ter mexido em câmaras antes de começar o curso de Som e Imagem na ESAD.CR, sempre gostei de Cinema e Fotografia (e das restantes artes também, mas estas duas sempre foram as que mais me chamaram a atenção). Quando finalizei a licenciatura em Arqueologia na Universidade do Minho e comecei o mestrado na mesma instituição descobri que queria aliar Arte e Ciência. Queria começar a desenvolver projetos fotográficos e audiovisuais em que a minha experiência de vida e os conhecimentos adquiridos na área de história e arqueologia se misturassem. Dada a impossibilidade de diálogo entre estes dois mundos na instituição em que me encontrava e a falta de conhecimentos técnicos para começar a desenvolver as ideias que tinha, decidi então começar um curso que remetesse para a área de Som e Imagem.

Escolhi as Caldas da Rainha porque não queria ir para as grandes cidades e como tinha boas referências de amigos que estudavam e que tinham estudado na ESAD.CR, optei por experimentar viver e estudar no Oeste.

As melhores memórias são sempre as pessoas que tivemos oportunidade de conhecer e com quem criámos amizades. Quando estava a estudar Arqueologia na Universidade do Minho a separação entre aluno e professor era muito vincada, havia uma certa frieza nos diálogos e nas trocas de conhecimento. Na ESAD.CR foi completamente o oposto. O diálogo e a troca constante de ideias, conhecimentos e referências foram incríveis (e que ainda hoje se mantém); aprendi muito com os docentes e creio que também aprenderam alguma coisa comigo.

Creio que o último ano da licenciatura foi o mais interessante para conhecer a região. Para fugir às rendas altas e à convivência com estudantes bastante mais novos, decidi ir viver para Salir de Matos. O contacto com uma zona mais rural permitiu-me ter um outro conhecimento das pessoas e da paisagem, e o vaivém entre o campo e a cidade permitiu-me também explorar o modo como estas se influenciam e analisar as suas “fronteiras”.

Neste momento estou a viver na Suécia. Dado que estou a viver numa zona isolada e longe das grandes cidades não tem sido fácil encontrar trabalho profissional na área, mas tenho feito alguns investimentos para autonomizar os meus trabalhos e projetos. Pretendo a médio/longo prazo construir um estúdio fotográfico, de modo a controlar melhor as várias fases dos projetos.

Aprendi muito na ESAD.CR. Clarifiquei, tive e propuseram-me uma série de ideias. Adquiri uma série de conhecimentos teóricos e práticos que me deram confiança para criar e continuar projetos que irão tornar o resto da minha vida e da interação com as pessoas e com o mundo bem mais interessante!

Alguns dos trabalhos fotográficos que tenho realizado podem (por enquanto) ser vistos na minha conta do instagram: https://www.instagram.com/nunobraumann/

Par o testemunho curto clique aqui